Em comitiva, Prefeitura de Mari realiza visita técnica em Cooperativa  produtora de  derivados da mandioca em Feira Nova –PE

A prefeitura de Mari, localizada na Zona da Mata Paraibana, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Agrário, em comitiva composta por técnicos da SMDEA, pelo SEBRAE, pelo EMAPAER (antiga EMATER), por Membros do Conselho Municipal de Desenvolvimento  Rural Sustentável (CMDRS), por Associações de Produtores Rurais e produtores de mandioca do município de Pilar, realizaram um intrercâmbio às instalações das unidades de processamento e beneficiamento de produtos derivados da mandioca, no município de Feira Nova – PE, objetivando firmar parcerias entre a Cooperativa Pernambucana e os produtores rurais dos municípios envolvidos.

A comitiva foi recepcionada por representante da prefeitura Municipal de Feira Nova, do Instituto Agronômico de Pernambuco-IPA, membros da Cooperativa dos Produtores da Farinha de Mandioca e seus derivados do Município de Feira Nova-COOPFFEN e de empresários do ramo da mandiocultura local, e serviu, também, como agradecimento aos empresários e produtores de Mandioca do Estado de Pernambuco, que fizeram uma visita técnica aos produtores de Mandioca de Mari, no mês passado.

O objetivo do intercâmbio entre os produtores de mandioca paraibanos e os produtores de mandioca e empresários pernambucano é possibilitar a instalação de unidades de beneficiamento e processamento da  mandioca no município de Mari. Essa articulação faz parte das ações desenvolvidas pelo Projeto Propriedade Produtiva desenvolvido pela SMDEA.

Conforme o Secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário, Severino Ramo, a partir da articulação entre a prefeitura municipal de Mari, o SEBRAE, a EMPAER e a UFPB está sendo construído um Arranjo Produtivo da Mandioca para a região. “O município de Mari será o ponto focal para a instalação dos instrumentos e ferramentas que alavancará e consolidará a cultura da mandioca no Estado da Paraíba, todos os agricultores familiares e produtores rurais que atuam com a cultura da mandioca estão convidados para participar desse importante projeto desenvolvimento econômico, social e cultural”, frisou, Severino Ramo, Secretário da SMDEA.

Com vistas ao fortalecimento desse trabalho, seis prefeituras da região, as instituições acima já identificadas, o SENAR e a EMBRAPA Mandioca e Fruticultura de Cruz das Alma-Bahia estão formando o Grupo de Trabalho – GT, para trabalhar a cadeia produtiva da região. Para isso, serão realizadas Mesas de Debates, Seminários, Dias de Campo, pesquisas, Experimentação, instalação do projeto RENIVA (banco de sementes – Germoplasma), negociação para a implantação de unidades de fecularias e de produção de farinha especiais (farofas especiais, salgadinhos, bolos, entre outros.), com alto valor agregado.

COMPARTILHAR