No município de Mari, Geodésica é inaugurada com participação da UFPB e dos índios Tabajaras

No último domingo, 5, foi inaugurada a Geodésica, um espeço que servirá para a capacitação de agricultores familiares e demais segmentos populares. A ação faz parte do Projeto Piloto Propriedade Produtiva do município de Mari, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Agrário, em parceria com a UFPB/PRAC, que visa garantir um espaço diferenciado e apropriado para a capacitação em diversas áreas, produção de conhecimentos populares e troca de experiências entre várias comunidades da região e do Estado da Paraíba.

A construção da geodésica simboliza implantação de um sistema produtivo integrado, no qual será cultivado hortaliças, plantas medicinais, Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) frutíferas, mandioca, inhame, batata doce, criação de bovino, suíno, de peixes e de galinha caipira; além da instalação de um biodigestor para geração de “gás de cozinha” e de placas fotovoltaica para a geração de energia solar.

O processo de capacitação que está sendo desenvolvido buscará integrar várias práticas do cultivo da terra, produção de medicamentos homeopáticos, criação de animais; com isso, dinamizar, potencializar o espaço utilizado e valorizar a relação do humano com a natureza, com práticas agroecológicas e holísticas.

A inauguração do espaço foi incrementada com a realização do Curso de Práticas Integrativas Populares em Saúde e Fitoterapia. O curso foi ministrado por Emanuel Falcão, da UFPB/PRAC e contou com a participação de representantes dos Povos Tabajaras, com destaque para as presenças do Cacique e o Pajé daquela comunidade indígena.

“A parte inicial do curso abordou a produção de medicamentos fitoterápicos, a partir da infusão de plantas medicinais em uma solução aquosa apropriada. A segunda parte do curso acontecerá no próximo dia 29, quando outras técnicas de preparo de medicamentos naturais serão aplicadas, a exemplo da transformação das plantas em pó e em sachê”, observou, Severino Ramo, Secretário da SMDEA.

Como resuma da avaliação dos participantes, pode-se dizer o seguinte: “o espaço Geodésico mostrou-se a descoberta de uma grande energia positiva que ali é irradiado. Um hemisfério cósmico agradabilíssimo”! “Uma oportunidade para o encontro com o próprio EU, com os outros e com a natureza”!

COMPARTILHAR