Prefeitura de Mari, através da Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico e Agrário realizou VISITA TÉCNICA-INSTITUCIONAL às ações desenvolvidas na Zona Rural do município.

Na última quarta-feira, 8, a gestão pública municipal de Mari recebeu diversos representantes de instituições públicas e da sociedade civil organizada na Zona Rural do município. A Visita Técnica-Institucional teve por finalidade apresentar, para os representantes das instituições parcerias, às ações que estão sendo desenvolvidas pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento Econômico e Agrário (SMDEA).

O evento teve início com um “Café na Roça” no Assentamento Tiradentes, que fora preparado  e servido pelas mulheres que fazem parte do grupo “Sementes da Terra”, ali localizado. O Café na roça teve por objetivo fazer a recepção dos convidados e a integração da comitiva para a visita às ações da SMDEA.

O primeiro local visitado foi a Casa de farinha que fora construída através do APL (Arranjo Produtivo Local), apoiado financeiramente pela SEDAP/BNDES que estava fechada havia alguns anos, e que passara a funcionar. Em seguida, a comitiva se deslocou para o sitio Açude Grande, unidade referência no cultivo de Urucum (cultivar: Piave Verde Limão). A cultivar utilizada apresenta várias vantagens comparativas com as que existem na região, como a precocidade na brotação de flores e cachos, maior produtividade de sementes, além do alto teor de BIXINA.   O plantio de Urucum foi realizado por vários agricultores, em comunidades diferentes.

Logo após a apresentação técnica do experimento do Urucum, o grupo se deslocou para a comunidade Lagoa do Félix, quando foi apresentado o plantio de Sorgo “Agri 002E” (sorgo boliviano gigante), unidade de referência para a produção de forragem, para alimentar os animais num período de maior carência de alimento para os mesmos, a partir do uso de técnica de ensilagem, para conservar a qualidade nutricional. Na área experimental estar sendo realizado o cultivo de cinco materiais genético diferente A cultivar Sorgo Agri 002E apresenta alto teor de biomassa; 1 hectare produz entre 100 e 120 toneladas de massa verde, no terceiro mês do plantio. No experimento, os técnicos realizaram 5 tipos de plantios diferentes, procedimento este que busca encontrar o melhor resultado com cultura do Sorgo.

Dando prosseguimento a visita, os presentes foram convidados a conhecer “ O Santuário Pedra da Santa”, um monumento religioso que faz parte da Trilha Histórica-Ecológica que está sendo organizada pela SMDEA. Seguindo o roteiro da programação, havia a visita ao plantio de cajueiro e aos experimentos com mandioca/macaxeira, contudo, em virtude do adiantado da hora, decidiu-se deixar estas visitas para a parte da tarde; seguiu-se para o “Casarão/casa da farinha antiga, aonde seriam apresentados alguns projetos, como o Mais Gestão (AGEMDHA) e o Arranjo Produtivo da Mandioca (IDEP-UFPB). No local também fora servido o “almoço cultural”.

No local, os presentes fizeram uma visita ao interior do casarão, uma espécie de museu, o qual fora montado e organizado pelo Sr. Geraldo, proprietário do sitio aonde também existe uma casa de farinha antiquíssima. Há uma ideia para a transformação do local no museu da mandioca, inclusive, com a Casa de Farinha artesanal funcionando nos dias de visitação dos turistas. O local faz parte da Trilha Histórica-Ecológica. Esta ação será realizada em parceria com a COEX/UFPB, dentro do Projeto: a UFPB e o Município, que irá desenvolver ações nas áreas de arte e cultura/economia criativa.

Logo após a visitação ao interior do casarão e da casa de farinha, foi realizada uma reunião, na qual os representantes das instituições fizeram uma breve apresentação das suas respectivas instituições, bem como da percepção das ações do Projeto Propriedade Produtiva que havia sido visitas na parte da manhã. Em seguida foi servido o almoço cultural, regado a comidas típicas, muito forró e licor de jenipapo.

Para concluir o trabalho do dia, foram apresentados o Projeto Mais Gestão está sendo desenvolvidos junto a duas associações Rurais, ONG AGEMDHA e o Arranjo Produtivo da Mandiocultura, apresentado Instituto UFPB de Desenvolvimento-IDEP. Pelo o Adiantado da hora, os presentes acharam por bem não mais fazer as visitas que haviam ficado marcadas para a parte tarde, sugerindo deixa-las para serem visitadas noutra oportunidade.

Estiveram presentes representantes do Centro de Ciências Agrárias, UFPB Areia, COEX e IDEP UFPB, Campus João Pessoa, SEBRAE, SENAR, SEDAP, Secretaria Estadual da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido, representantes dos gabinetes da deputada estadual Cida Ramos e Chió, EMPAER, BNB, AGEMDHA, FAAC – Fórum de Atividades Artísticas e Culturais, SINTRAF Mari, presidente do CMDRS de Mari, das associações de produtores rurais de Tiradentes e Pirpiri, EMPAER, equipe da Secretaria de Agricultura de Santa Rita, de Rio Tinto e de Guarabira,  inclusive, o vice-prefeito daquela cidade, Diretoria de Comunicação da prefeitura de Sapé. Além das autoridades de outros municípios, estiveram presentes o prefeito Antônio Gomes, a vice-prefeita, Karina Melo, a secretária de Saúde, do Desenvolvimento Humano, o secretário Chefe de gabinete, representantes das Secretarias de Educação e de Finanças e muitos outros auxiliares da gestão municipal.

COMPARTILHAR